GUILHERME TROMBINI

O Fotógrafo de Brotas


No ano de 1924, no dia 19 de outubro, na vizinha cidade de Jaú, nascia Guilherme Trombini, que viria a ser um dos fotógrafos mais conhecidos em toda a região, trabalhando com as famosas máquinas conhecidas como "lambe-lambe".

Trombini , em foto da mocidade.

Descendente de italianos, Trombini, como era carinhosamente conhecido por nós, era filho do Sr. Florindo Trombini e de D. Luzia. De origem simples mas honesta e íntegra iniciou sua jornada aos 11 anos auxiliando seu tio no trabalho de fotografia. Já como fotógrafo, moço ainda, conheceu Brotas e achou a cidade muito acolhedora. Desde menino, sentia-se atraído por uma jovem também natural de Jaú. Assim que se estabeleceu em Brotas, tratou de buscar sua amada, casando-se aos 18 anos com Leonilda Chacon, em 1946. E com o apoio dela conseguiram criar seus oito filhos: Eunice, Cleiton, Doralice, Cleide, Rosaine, Rosemary, Junior e Ed Wilson, que lhe deram treze netos. Em 1949 se estabeleceu como profissional de fotografia na Avenida Rodolfo Guimarães. Naquela época, as fotos eram tiradas apenas em estúdio. Após a cerimônia, era comum os noivos se dirigirem até o estúdio, posarem em frente a um painel pintado e serem fotografados para guardar de recordação uma única foto do casamento. E até aconteciam cenas engraçadas. A máquina lambe-lambe, tinha um "flash" que usava pólvora e muitas vezes as pessoas se assustavam com o estouro. Em 1956, com a chegada dos primeiros "flashes", o Sr. Trombini pode começar a realizar seu trabalho fora do estúdio.


Seu estúdio, na Avenida 2.

Em 1960, começaram a chegar novos flashes, mais modernos, vindos da Alemanha. E o Sr.Trombini não se cansava. Acompanhado da sua inseparável máquina fotográfica, estava presente em todos os eventos e acontecimentos de Brotas e região. Cidades como Ribeirão Bonito, Bocaina, Boa Esperança e Dourado sempre chamavam-no para fotografar os eventos mais importantes. Alguns dias da semana trabalhava em Dourado. Primeiramente com seu Fordinho e depois em um fusquinha todo enfeitado com suas fotos preto e branco. Quando ele chegava, todos se aproximavam.E em todas estas cidades, fotografava casamentos, batizados, desfiles cívicos, eventos políticos, formaturas e o que mais precisasse. Em Brotas, nas noites de carnaval, nos bailes da vida, quando menos esperávamos, lá estava ele, aguardando o melhor momento para nos surpreender e assim, passava a noite procurando os melhores ângulos.


Trabalho de estúdio do Trombini, fotografando
as filhas do Reniero Bressan, Leslie e Léa.

Há décadas atrás, quando ainda não havia as emulsões coloridas, nosso amigo Trombini e sua esposa, dedicavam-se a colorir manualmente as fotos de estúdio, usando uma técnica toda especial, que pode ser vista nestes dois trabalhos, também com as meninas Leslie e Léa.


Trabalho de estúdio do Trombini, em branco e preto.




O mesmo trabalho, colorido com técnica especial.


Durante mais de meio século, fez grandes reportagens fotográficas, realizando um registro importante daquela época para nossa cidade. Afinal foram 62 anos de trabalho incansável na profissão. A arte da fotografia foi se modernizando através dos tempos, deixando para trás as antigas e artísticas fotos preto e branco, reveladas em processo manual. Sr. Guilherme fez da arte da fotografia sua profissão, mas antes de tudo, era sua grande paixão. Sempre simpático e brincalhão fazia de cada manhã uma nova esperança e em cada instante uma nova amizade, conservando o mesmo sorriso e o mesmo entusiasmo pela vida.

O sr. Guilherme Trombini, seu sorriso e sua famosa "lambe-lambe."




Artigo extraído do Caderno Cultural da "Tribuna Comunitária", jornal de Brotas, edição de 07 de junho de 2003.
Autoria de Sonia Leite.




Como autor deste site, gostaria de deixar um testemunho de meu convívio de mais de 50 anos com esta figura ímpar que foi o fotógrafo Trombini. Desde garoto sempre tive paixão por fotografia e por ocasião de minhas férias escolares, sempre ia a Brotas para descansar na Fazenda Pinheiros. Como tirava muitas fotos, estava sempre no estúdio dele, revelando ou comprando filmes e posso atestar tudo que faz parte da reportagem da Sonia como expressão da mais pura verdade.

O resgate da história de Brotas deve muito ao Trombini, pois ao longo de sua vida, foi o único profissional a registrar tudo o que ocorria na cidade e teve também a brilhante idéia de fazer os famosos "cartões postais" da cidade. Vamos colocar alguns neste trabalho para conhecimento das novas gerações.

À esquerda, o famoso salto de Brotas.
À direita, o grupo escolar na praça do jardim.
Estes são alguns dos "cartões postais"
da autoria do Trombini, com serrilhas e tudo o mais....


À esquerda, a matriz de Nossa Senhora das Dores, fazendo hoje 160 anos.
À direita, o belíssimo coreto da praça do jardim, que não existe mais hoje...


Em meu casamento, realizado na matriz de Nossa Senhora das Dores de Brotas, em 1963, tive a felicidade de contar com os préstimos do amigo Trombini.
Porisso, gostaria de deixar aqui uma idéia: com certeza, o Trombini deve ter fotografado o casamento de três gerações seguidas, isto é, mãe(pai), filha(o) e neta(o), e caso isto tenha realmente acontecido, ficaria muito feliz em colocar estas fotos no site.

Meu casamento, em 1963, celebrado pelo amigo padre Luiz, hoje na Espanha.
Clicado pelo sr. Guilherme Trombini, saudoso amigo de sempre."

Finalmente, como disse a vocês, até hoje sou o fotógrafo da minha família, tendo registrado nestes 50 anos de convívio com Brotas muitos e muitos momentos felizes que ai passamos e porisso, sou chamado por minha família, carinhosamente de...Trombini. Com muito orgulho!!!

Paulo Castro